Institucional

Fundada em 1º de julho de 1954, a Transportadora Galiotto contava com uma frota inicial de 9 caminhões marca GMC Marítimos e Aclo-matador. No auge da empresa chegou a ter 52 caminhões. Apesar de todas as dificuldades surgidas com o início do regime militar no Brasil (1964), a Transportadora Galiotto não parava e, no ano seguinte, já enfrentava com criatividade os desafios do caminho, com um fato muito curioso que aconteceu na sua rota: ruiu a ponte de Passo do Socorro, no Rio Pelotas, isolando, praticamente, o Rio Grande do Sul do resto do país. Para não interromper as suas atividades, a empresa idealizou uma solução inteligente para contornar o problema e passar as suas cargas para o outro lado do rio. Instalou sobre o rio uma mangueira de borracha, com 600m de comprimento, utilizada para bombear o vinho transportado por seus caminhões da margem gaúcha para a catarinense, e assim seguir para o mercado paulista e carioca; no sentido contrário, bombeava o álcool trazido pelos caminhões tanques de São Paulo para o Sul. A operação levava cerca de três horas e meia para cada caminhão. Esta iniciativa foi manchete no Jornal Pioneiro, que circulava naquela região, com o título de “O primeiro Vinhoduto do mundo” (1965).

Em novembro/65, a Transportadora Galiotto, em sociedade com a Transportadora Aurora, também de Caxias do Sul, adquiriu a Empresa Bocatur, de Curitiba-PR, resultante da fusão das empresas Expresso do Sul e Estrela D’Alva. Poucos meses depois, em 10 de fevereiro de 1966, a Boscatur mudou seu nome para Pluma Conforto e Turismo S.A. Inicialmente a empresa estava situada à Rua Carlos Dietzch 541, no Bairro do Portão, e logo depois transferiu sua sede para a Rodovia BR 116, km 108 – Pinheirinho, onde se encontra até hoje.

Os primeiros vôos da Pluma

A Pluma começou suas atividades com 170 funcionários, e possuía 34 ônibus em sua frota, que operavam em três linhas: Curitiba / Porto Alegre, Curitiba / São Paulo, e Curitiba / Passo Fundo / Santa Maria (RS).

Com a incorporação da empresa Expresso Porto Alegre Brasília Ltda em 1971, a Pluma deu início à interligação do Brasil à Argentina, surgindo dessa fusão sua primeira linha internacional: Porto Alegre/Buenos Aires. Dois anos depois, conseguiu o prolongamento dessa linha para o Rio de Janeiro e São Paulo. Mas a ampliação de suas rotas não parou por aí. Em 1974, começou a operar mais três linhas: Foz do Iguaçu/São Paulo; São Paulo/Assunção e Foz do Iguaçú/Assunção.

Essas linhas, no decorrer do tempo, também foram sendo ampliadas. Outra conquista importante da Pluma ocorreu em 1978, com o início da linha Rio de Janeiro/Santiago do Chile, uma das maiores linhas rodoviárias da América Latina, com 4.116 km.

Incêndio de 1986

Apesar de sua constante expansão e crescimento, a Pluma também passou por momentos muito difíceis, até chegar no ponto em que se encontra atualmente. O mais grave foi em 1986, quando um incêndio destruiu toda a sua sede administrativa e parte do setor de manutenção. Como uma fênix ressurgida das cinzas, depois do incêndio a empresa iniciou uma verdadeira batalha para a construção da nova sede, que foi inaugurada em fevereiro de 1990. A “Águia da Pluma” voltou a bater suas asas com toda a sua força e autonomia de vôo e, subindo cada vez mais alto, nunca mais parou de ampliar os horizontes de seu território no setor de transporte rodoviário de passageiros e de cargas e encomendas.

A Empresa

  • Fundada em 10 de fevereiro de 1966
  • Matriz em Curitiba – PR
  • Colaboradores: 1300
  • Área construída: 200 mil m2
  • 25 filiais distribuídas por todo o Brasil
  • 3 filiais internacionais: Argentina, Paraguai e Chile

Missão

Ser uma empresa prestadora de serviços, orientada para o cliente, buscando a excelência no atendimento de suas necessidades, operando em rotas interestaduais nacionais e rotas internacionais.

Política de Qualidade

Oferecer serviços de transporte rodoviário de passageiros, cargas, encomendas e fretamento turístico, buscando a satisfação de nossos clientes através de melhorias contínuas em nossos processos e serviços.

Em 2002, quando da ingressão do novo grupo acionário, metas e ações de renovação e crescimento foram estabelecidas, visando o reposicionamento da empresa no mercado de transporte rodoviário.

Assim, de 2004 para cá, com a mudança da logomarca (e entre tantas outras ações que demarcam esta nova fase), luminosos foram trocados, guichês e filiais reformadas, empresas foram incorporadas.

A perspectiva é que esse desenvolvimento não pare, disponibilizando aos antigos e novos clientes – independente do setor de atuação – uma frota cada vez mais moderna e confortável, apoiada por uma infra-estrutura que só uma empresa com a grandeza da Pluma é capaz de proporcionar.

Pioneirismo

Mais uma vez a Real Expresso foi pioneira
Há mais de 15 anos sendo re-certificada ano após ano

Receber uma certificação do Sistema de Qualidade ISO 9000 não é um passe de mágica, não é apenas colocar um diploma na parede e não é também apenas ser aprovado em uma prova final. Receber esse diploma é o reconhecimento de que a Real Expresso chegou a um ponto na evolução do seu trabalho que atinge e supera um padrão internacional de qualidade.

E qualidade é um processo contínuo de evolução e de aperfeiçoamento do trabalho de uma empresa, envolvendo todos os seus funcionários no esforço de prestar serviços melhores e mais baratos para a sua clientela, o alvo final e único da empresa.

A Real Expresso sempre superou marcos importantes em sua trajetória de sucesso e para a obtenção do certificado de ISO 9000 não foi diferente. Mais uma vez a Real Expresso foi pioneira. Foi a primeira empresa do setor a obter a certificação e há mais de 15 anos vem sendo re-certificada ano após ano. Isto significa o reconhecimento da qualidade dos serviços que são prestados aos seus clientes, pela profunda mudança que esse processo implica no dia a dia da empresa e, também, pelo pioneirismo que representa dentro do setor. A meta de qualidade vem sendo perseguida por várias empresas e a Real Expresso chegou na frente. Poucas empresas do setor de transporte rodoviário de passageiros receberam essa certificação de qualidade, apesar de muitos concorrentes apresentarem poder econômico, qualidade, competência técnica e efetiva, dedicação de seus funcionários e acionistas. A certificação ISO 9000 e a obsessão por segurança fazem parte das conquistas e da história da Real Expresso.

Aliás, destaque para o item segurança, que está diretamente relacionado ao conforto. Pensando nisso, a Real Expresso, preocupada com a segurança dos seus clientes, foi a pioneira no uso do cinto de segurança pelos motoristas e mais, pioneira também no uso do cinto para todos os passageiros, muito antes do CONTRAN adotar e regulamentar a idéia do cinto de segurança e o seu uso obrigatório a partir de 1997 por todos os passageiros nos ônibus rodoviários. Mesmo com números muito reduzidos de acidentes, obtidos por rigorosos padrões de segurança, eles ainda acontecem, geralmente provocados por terceiros. Assim, os cintos reduzem em muito a eventual gravidade destes acidentes.

A Real Expresso também foi a primeira a implantar a entrega de passagens em domicílio, bem como a adotar a prática de manter faróis acesos, revezamento e troca de motoristas em linhas longas – quando isso não era exigido pelo regulamento do setor – a adoção do tacógrafo e do computador de bordo, a fiscalização do descanso dos motoristas e manutenção preventiva, vendas pela Internet, Serviço de Atendimento ao Cliente, entre outras iniciativas, sendo que muitas dessas ações foram modelos para o país e adotadas posteriormente como normas dos órgãos de trânsito e gestores do transporte de passageiros.

Sempre direcionada para o seus passageiros e olhando para o futuro, a empresa começa a trabalhar para a obtenção da ISO 14.000.

Alianças

Confira a relação de parcerias da Real Expresso com outras empresas